vilabio

saúde mais perto de si

Ingredientes químicos usados nos produtos de consumo humano

Vamos passar a apresentar os ingredientes químicos usados nos produtos de consumo humano, tais como produtos de beleza, cosmética, protectores solares, shampoos, perfumes, entre outros, esmiuçando um a um, acerca da sua eventual toxicidade e potenciais prejuízos para a Saúde humana.

Todas estas evidências são baseadas em estudos ciêntificos.

O nosso objectivo é, dada a escassez de informação existente em relação a esta matéria, fornecer essa mesma informação aos leitores do vilabio2.wordpress.com  para que possa encarar os perigos do consumo da vida moderna, de forma mais confiante e informada.

 

Para facilitarmos a percepção do leitor em relação ao Perigo Geral que constitui cada tóxico ou ingrediente
químico, utilizamos uma escala de 0 a 10, cujas cores vão alterando de tonalidade, entre 3 cores principais: Verdes (para os menos perigosos), Amarelos (para os de perigo médio) e Vermelhos (para os de perigo elevado).

Quanto maior for o número atribuído, maior é o nível de toxicidade correspondente, e consequente perigo para a Saúde.

Note-se que a tonalidade de cada grau recrudesce quanto maior é o perigo.

Assim, em cada artigo sobre um Ingrediente Químico, iremos colocar o grau correspondente, logo a seguir ao separador “Classificação“.

 

Vamos apresentar então, de seguida, os vários graus da escala:

Risco Ligeiro
Ligeiro
Risco Moderado
Moderado
Risco Elevado
Elevado
NOTA: A inspiração para esta escala, assim como muita informação divulgada sobre os Ingredientes Químicos tem como fonte o site «Cosmetic Database», da Enviromental Working Group.

 

Quantidade de informação disponível sobre cada químico.

á 5 graus desta escala, conforme o conhecimento disponível que se tem acerca de cada Ingrediente Químico, com base nos estudos científicos já realizados acerca do mesmo: Nenhuma, Limitada, Razoável, Boa e Robusta, em ordem crescente de quantidade e qualidade de informação.

 

EXEMPLO:

Lauril éter sulfato de sódio  [Sodium Laureth Sulfate] é um detergente e surfactante que faz parte de muitos produtos de higiene (sabonetes, shampoos, cremes dentais, etc.). É um desengordurante muito eficaz e barato.

A sua fórmula química é CH3(CH2)10CH2(OCH2CH2)nOSO3Na. Por vezes o número “n” é incluído no nome, por exemplo lauriléter-2 sulfato de sódio. O produto comercial é heterogéneo, tanto no comprimento da cadeia álcali (12 sendo a moda do número de átomos de carbono), como no número de grupos etoxila, onde n é a mediana. Tem-se que n=3 é comum nos produtos comerciais. O SLS pode ser derivado por etoxilação de SDS.

Dodecil sulfato de sódio (Lauril sulfato de sódio) (também conhecido como SDS) e lauril sulfato de amónio (ALS) são alternativas comuns ao SLS em produtos comerciais.

Algumas evidências e pesquisas sugerem que o SLS pode também causar irritação após exposição prolongada.

Efeitos na pele sensível

Produtos que contenham esta substâncias podem afectar quem tenha propensão a eczemas e outras irritações. Esta substâncias ajuda na produção elevada de espuma nesses produtos, permitindo uma melhor distribuição do produto durante a lavagem do cabelo, pele ou dentes. Quando enxaguado, o produto terá lavado a área mas, em contrapartida, terá também removido a humidade das camadas superiores da derme. Em pessoas com pele sensível (dadas a dermatites, acne, eczema, psoríase e sensibilidade química), as propriedades hidrófilas desse tipo de detergentes podem causar o ressurgir de problemas de pele ou piorar condições já existentes.

Preocupações de saúde

Cosmetic, Toiletry, and Fragrance Association (CTFA) e a American Cancer Society afirmam que a possibilidade de o SLS ser cancerígeno é uma lenda urbana. Contudo, o Environmental Working Group afirmou no seu Skin Deep Report que o SLS pode possivelmente estar contaminado com 1,4-dioxano. Sabe-se que algum SLS pode ter sido contaminados com 1,4-dioxano. A U.S. Environmental Protection Agency considera o 1,4-dioxano como um possível cancerígeno. A U.S. Food and Drug Administration encoraja as empresas a remover este contaminante, mas tal ainda não é imposto por lei.

Também existem receios de contaminação com Óxido de Etileno.

Nomes alternativos

  • Steol-130230, 270330370 ou 460
  • Stepanol
  • Alkyl Ether Sulfate
  • Sodium POE(2) Lauryl Ether Sulfate
  • Sodium Diethylene glycol Lauryl Ether Sulfate
  • Sodium Lauryl Ether Sulfate
  • Surfax EVE
  • ALPHA-SULFO-OMEGA- (DODECYLOXY) POLY (OXY-1,2-ETHANEDIYL), Sodium Salt
  • Dodecyl Sodium Sulfate
  • PEG-(1-4) Lauryl Éther Sulfate, Sodium Salt
  • POLY (OXY-1,2-ETHANEDIYL), .ALPHA.-SULFO-.OMEGA.-(DODECYLOXY)-, Sodium Salt
  • POLY (OXY-1,2-ETHANEDIYL), A-SULFO-W (DODECYLOXY)-, Sodium Salt
  • POLYETHYLENE GLYCOL (1-4) Lauryl Éther Sulfate, Sodium Salt
  • POLYOXYETHYLENE (1-4) Lauryl Éther Sulfate, Sodium Salt
  • Sodium PEG Lauryl Éther Sulfate
Classificação

Informação Disponível: Limitada [mais info]

3

Nota na classificação [0-10] do grau de perigo geral deste ingrediente químico para a Saúde.

Para mais informações sobre a escala de classificação, consulte:  Escala de classificação da toxicidade dos Ingredientes Químicos

Quadro de Análise
Sodium Laureth Sulfate
Informação Disponível

Ver:http://paradigmatrix.net/?p=9442

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 9 de Julho de 2014 by in temas interessantes and tagged , , .

Navegação

Follow vilabio on WordPress.com

já viram

O grande dia11 de Junho, 2014
O grande dia chegou.
%d bloggers like this: